Revista ABTPé 4.2 - Ano: 2010

Artigos

Osteoma osteoide da falange distal do terceiro dedo do pé: relato de caso

Third toe distal phalanx osteoid osteoma: case report

Marcelo Pires Prado1, Alberto Abussamara Moreira Mendes2, Daniel Tassetto Amodio2

Abstract:

The authors present a case of a child with osteoid osteoma affecting the distal phalanx of the third toe. The patient had severe pain and incapacity, with increased size of the affected toe. The authors discuss the differential diagnosis and the importance of adequate investigation of unusual diagnosis.

Keywords:Osteoma, osteoid/surgery; Foot bones/pathology; Case reports

Resumo:

Relata-se aqui um caso de osteoma osteoide da falange distal do terceiro dedo do pé em uma criança. O paciente apresentava dores incapacitantes e aumento do volume do dedo envolvido. Discutem-se os diagnósticos diferenciais e a importância de pesquisar adequadamente diagnósticos não-usuais.

Descritores:Osteoma osteoide/cirurgia; Ossos do pé/patologia; Relatos de casos

[ baixe o PDF ]

Implante autólogo de condrócitos no tratamento das lesões osteocondrais do talo

Autologous chondrocite implantation in osteochondral lesions of the talus

Caio Nery, Christiane Lambello, Cibele Réssio, Inácio Asaumi

Abstract:

Background: The damaged human hyaline cartilage has a very limited potential of healing. Fibrocartilage is often the most common reaction of this process, resulting from medullar cells’ stimulation, which is capable of healing small regions and has properties inferior to those of the original cartilage. Many attempts of developing methods to treat articular lesions by hyaline cartilage have been made. The aim of this study was to examine the results of autologous chondrocyte implantation in the treatment of talus osteochondral lesions through clinical practice, histology and imaging methods. Methods: Five patients with osteochondral lesions underwent the procedure after being included in the study. Three patients were female and two were males; mean age at the time of the operation was 28 years old, ranging from 20 to 39. All of them had failed previous surgical treatment. The procedure was divided into three phases: knee and ankle arthroscopy to collect healthy hyaline cartilage samples and to evaluate the ankle; chondrocytes cultivation; implantation of chondrocytes into a sandwich-like double layer periosteal sac. The evaluation was made prospectively following a predetermined protocol in which radiographs and MRI were taken at 90th and 180th days; an arthroscopic second-look and biopsy of the restored tissue were performed at the end of the first postoperative year. Clinical evaluation was made by Visual Analog Scale (VAS) with respect to pain, and by ankle/hind foot AOFAS score. Results: The average follow-up period was 67 months (minimum: 55 months; maximum: 75 months) with a substantial improvement in the AOFAS score, as mean score was 41.2 in the preoperative period and 92.8 in the postoperative period; the pain score was 8.0 preoperatively and 1.6 postoperatively. Radiographs demonstrated consolidation of tibial osteotomy in all patients, and MRI analysis obtained at the 180th postoperative day showed filling of the lesions, although irregularities were observed in two patients (40%). The follow-up revealed that patients had returned to their routine activities 12 months later – including practicing sports – without complaints or limitations related to the surgery. Arthroscopy showed the recovering of the lesion by a tissue with the same macroscopic features of the whole cartilage, but a little smoother. Histological analysis demonstrated hyaline cartilage in all patients. Conclusions: Despite the small size of the sample, the excellence of results suggests that the chondrocyte autologous implantation is a safe and effective method for the treatment of talus osteochondral lesions.

Keywords:Chondrocytes; Implantation; Orthopedic procedures/methods; Talus/surgery; Implantation, autologous Level of evidence: Level IV – therapeutic

Resumo:

Objetivo: A cartilagem hialina humana apresenta baixíssima capacidade reparadora, sendo sua reação mais comum a formação de fibrocartilagem, resultado da estimulação de células medulares, capaz de restaurar apenas pequenas áreas. Além disso, a fibrocartilagem possui características inferiores às da cartilagem original. Várias tentativas vêm sendo feitas no sentido de se conseguir métodos para a reparação de superfícies articulares lesadas por tecido cartilaginoso hialino. O objetivo deste trabalho foi analisar, por meio da clínica, da imagem e da histologia, os resultados da utilização do implante autólogo de condrócitos no tratamento das lesões osteocondrais do talo. Métodos: Foi realizado o implante autólogo de condrócitos para o tratamento de lesões osteocondrais do talo em cinco pacientes consecutivos que preencheram os critérios de inclusão previstos para este estudo. Três pacientes eram do sexo feminino e dois do sexo masculino. A média da idade no momento da cirurgia foi de 28 anos, variando de 20 a 39 anos. Todos os pacientes tinham sido submetidos a tratamento cirúrgico prévio sem obter resultados satisfatórios quanto à cura da lesão e à remissão dos sintomas. O procedimento utilizado neste estudo é composto por três fases: artroscopia dupla (joelho e tornozelo) para coleta de cartilagem hialina saudável e inventário do tornozelo; processamento e cultivo dos condrócitos; implantação propriamente dita, realizada por meio de artrotomia e confecção de câmara hermética com dois folhetos periostais sob a forma de sandwich. A avaliação dos pacientes foi feita de forma prospectiva seguindo roteiro pré-determinado, tendo sido obtidas radiografias de controle, ressonâncias magnéticas aos 90 e 180 dias e artroscopias de verificação (second-look) com biópsia do centro da zona de reparação ao final do primeiro ano pós-operatório. A avaliação clínica serviu-se de Escala Analógica Visual para o sintoma “dor” e as recomendações da AOFAS em seu escore para tornozelo e retropé. Resultados: Todos os pacientes foram revisados após tempo médio de acompanhamento de 67 meses (mínimo: 55; máximo: 75 meses) tendo havido melhora substancial no índice da AOFAS, cuja média pré-operatória passou de 41,2 para 92,8 no pós-operatório, e da dor, que passou da média 8,0 pré-operatória para a média de 1,6 no pós-operatório. As imagens radiológicas demonstraram a consolidação da zona de osteotomia do maléolo tibial em todos os pacientes analisados. As ressonâncias magnéticas obtidas aos 180 dias após a cirurgia mostraram o completo preenchimento das lesões na totalidade dos casos, embora alguma irregularidade de superfície pudesse ser observada em dois pacientes (40%). Na avaliação de 12 meses, todos os pacientes haviam retornado às suas atividades pregressas – incluindo esporte amador – sem queixas ou limitações relativas à cirurgia. Durante a artroscopia final, todas as lesões mostraram-se completamente preenchidas por tecido com as mesmas características macroscópicas do restante da articulação, embora levemente mais amolecido. A análise histológica das biópsias obtidas do centro das zonas preenchidas (antigas lesões) demonstrou tratar-se de cartilagem hialina em todos os pacientes desta amostra. Conclusões: Apesar do pequeno número de pacientes estudados, a excelência dos resultados obtidos sugere que a implantação autóloga de condrócitos é um método efetivo e seguro para o tratamento das lesões osteocondrais do talo.

Descritores:Condrócitos; Implantes; Procedimentos ortopédicos/métodos; Talus/cirurgia; Implantes autólogos Nível de evidência: IV – Terapêutica.

[ baixe o PDF ]

O que há de novo na ostetotomia de Akin

Que hay de nuevo en osteotomía de Akin

Julio Eduardo Amaya, Gonzalo Rubies, Gérman Andrés Chaparro

Abstract:

Objetivo: O objetivo deste estudo foi avaliar uma nova técnica cirúrgica minimamente invasiva para a realização de osteotomia em cunha subtrativa da primeira falange, do hálux pelo processo de Akin, e sua eficácia na correção de ângulo articular distal (DASA). Métodos: Estudo retrospectivo de 216 procedimentos (156 pacientes) operados na Clínicas Arizu, em Mendoza, na Argentina, entre fevereiro e dezembro de 2003. A média de seguimento foi de dois anos (intervalo: um a quatro anos). Resultados: Foi avaliada a eficácia do método na correção estrutural do DASA, que foi bem-sucedida em 96,2% dos pacientes (?6°). Não usou-se qualquer fixação interna. O tempo de cicatrização variou de 50 a 90 dias e o encurtamento médio foi de 2,3 mm. As complicações mais importantes foram: perda de correção angular em oito casos (3,7%), ruptura completa da osteotomia em três casos (3,7%), lesão do tendão flexor do hálux em um caso (0,46%), outras menores como queimaduras na pele periorificial em 26 casos (12,03%), e parestesia no território do colateral medial em 15 pacientes (6,9%), que se recuperaram totalmente em 100% dos casos. Não houve registros de pseudoartrose ou lesões vasculares. Nos casos em que a DASA tem um ângulo muito acentuado, é possível dividir a angulação e fazer duas osteotomias metafisárias de menor escala sem alterar sua estabilidade. Conclusões: Concluiu-se que a osteotomia de Akin realizada por via percutânea é um método eficaz na correção da DASA, que pode ser realizada sem a fixação interna, tem poucas complicações e baixa taxa de pseudoartrose e lesões vasculares (pelo menos nesta série), quando são realizadas a céu aberto.

Keywords:Ostetotomia/métodos; Procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos; Cirurgia percutânea; Hallux valgus

Resumo:

Objetivo: El propósito de este estudio fue evaluar una nueva técnica quirúrgica mínimamente invasiva para la realización de la osteotomía en cuña sustractiva de la primera falange del hallux-procedimiento de Akin, y su efectividad en la corrección del distal articular set angle (DASA). Métodos: Se realizó un estudio retrospectivo de 216 procedimientos (156 pacientes) operados en la Clínica Arizu, en Mendoza, Argentina; entre Febrero y Diciembre del 2003. El seguimiento promedio fue de dos años (rango: uno a cuatro años). Resultados: Se evaluó la efectividad del método en la corrección estructural del DASA, lo cual fue satisfactorio en el 96.2% de los pacientes (?6°). No se usó ningún tipo de fijación interna. El tiempo de consolidación osciló entre los 50 y los 90 días y el acortamiento promedio fue de 2,3 mm. En cuanto a las complicaciones, las más importantes fueron: pérdida de la corrección angular en ocho casos (3,7%), ruptura completa de la osteotomía en tres casos (3,7%), lesión del tendón flexor del hallux en un caso (0,46%), otras menores como quemaduras en la piel periorificial en 26 casos (12,03%) y parestesias en territorio del colateral medial en 15 pacientes (6,9%) que se recuperaron totalmente en el 100% de los casos. No se registraron seudoartrosis ni lesiones vasculares. En aquellos casos en donde el DASA presenta una angulación muy marcada, cabe la posibilidad de desdoblar la angulación y realizar dos ostomías metafisarias de menor amplitud sin alterar la estabilidad de la misma. Conclusiones: Se concluye que la osteotomía de Akin realizada en forma percutánea es un método efectivo en la corrección del DASA, que puede realizarse sin fijación interna, presenta escasas complicaciones y menor índice de seudoartrosis y lesiones vasculares (al menos en esta serie) que cuando se realizan a cielo abierto.

Descritores:Osteotomía/métodos; Procedimientos quirúrgicos mínimamente invasivos; Cirugía percutánea; Hallux valgus

[ baixe o PDF ]

Tratamento cirúrgico do hálux valgo moderado à grave por meio da osteotomia distal tipo chevron associado à liberação distal de partes moles

Surgical treatment of moderate to severe hallux valgus with distal chevron osteotomy associated with distal soft tissue release

José Carlos Cohen, Greer Richardson, Rodrigo Motta Pacheco Fernandes

Abstract:

Objective: To evaluate the patient’s satisfaction with respect to chevron distal osteotomy and lateral soft tissue release in moderate to severe hallux valgus deformities. Methods: Twenty-one patients (31 feet) were retrospectively assessed using the radiographic method for measuring hallux valgus angle (HVA) ?25o and intermetatarsal angle (IMA) ?14o on the pre- and postoperative periods, based on Hardy and Clapham’s criteria and on the center/head/base of the first metatarsal method. Seventeen patients were given a questionnaire (visual analogue scale – VAS) specifically designed for this study, with a minimum two-year follow-up (two to six years). Results: Using the visual analogue scale, we obtained a high overall satisfaction with the procedure regarding pain, function and esthetics. Radiographic momeasurements
showed an average HVA and IMA correction of 11.4º and 2.9º, respectively, according to the Hardy and Clapham method. The center-head/base method provided an average HVA and IMA correction value of 17.8º and 6.9º, respectively, which accounts for a better correlation of patients’ satisfaction. There were no cases of hallux varus or avascular necrosis (AVN) of the first metatarsal head. Conclusions: The chevron distal osteotomy may be performed with safe release of distal soft tissues in cases of moderate to severe hallux valgus deformities provided that the surgical technique does not impact on the vascularization of the first metatarsal’s head.

Keywords:Hallux valgus/surgery; Orthopedic procedures/methods; Osteotomy/methods

Resumo:

Objetivo: Avaliar o grau de satisfação de pacientes submetidos à osteotomia distal tipo chevron associada à liberação lateral de partes moles em deformidades moderadas a graves de hálux valgo. Métodos: 28 pacientes (31 pés) foram analisados retrospectivamente com avaliação radiográfica do ângulo de hálux valgo (HVA) ?25º e ângulo intermetatársico (IMA) ?14º no pré e pós-operatório, utilizando as mensurações descritas por Hardy e Clapham (médio-diafisária) e pelo método centro da cabeça/base do primeiro metatarsal. Dezessete destes pacientes responderam um questionário com uma Escala Visual Analógica (EVA) especificamente desenvolvida para este estudo com um seguimento mínimo de dois anos (dois a seis anos). Resultados: utilizando a EVA, obtivemos um alto grau de satisfação, principalmente nos quesitos dor, função e estética. A mensuração radiográfica demonstrou uma correção média do HVA de 11,4º e do IMA de 2,9º com o método de Hardy a Clapham, enquanto que, com o método centro da cabeça/base do primeiro metatarsal, a correção média foi de 17,8º para o HVA e 6,9º para o IMA, havendo uma melhor correlação do grau de satisfação dos pacientes. Não houve casos de hálux varo ou necrose avascular (AVN) da cabeça do primeiro metatarsal. Conclusões: A osteotomia distal de chevron pode ser realizada com a liberação distal de partes moles com segurança nas deformidades moderadas à graves de hálux valgo, desde que a técnica cirúrgica empregada respeite a vascularização da cabeça do primeiro metatarso.

Descritores:Hallux valgus/cirurgia; Procedimentos ortopédicos/métodos; Osteotomia/métodos

[ baixe o PDF ]

Impacto posterior do tornozelo: estudo retrospectivo do tratamento artroscópico

Posterior ankle impingement: retrospective study of the arthroscopic treatment

João Luiz Vieira da Silva, Rodrigo Angeli, Bruno Bonacin Moura, Luiz Fernando Bonaroski, José Tarsio de Campos Filho, Edmar Stieven Filho, Mário Massatomo Namba, Sérgio Artur Manfredinni Vianna

Abstract:

Objective: Posterior impingement ankle syndrome (PIAS) refers to a group of pathologic entities that result from repetitive or acute forced plantar flexion. It is described in classic ballet dancers, and also in individuals who are active in sports, including soccer, basketball, running, and volleyball, as well as in those who participate in non-sport-related activities. The goal of this study was to evaluate, retrospectively, the results of the arthroscopic treatment for PIAS. Methods: A retrospective evaluation of medical record of 13 patients, being one case bilateral (14 ankles) who were submitted to arthroscopic treatment for PIAS, between 2005 and 2009. An evaluation of the radiographies, magnetic resonance imaging, AOFAS score and the satisfaction level of the patients was made. Results: The average AOFAS pre-operative score for the 14 cases was 65.1 points (58-73) and the AOFAS postoperative score was 89.4 points. This difference was considered statistically significative (p<0>Conclusion: The arthroscopic treatment for PIAS showed effectiveness, providing clinical improving and satisfaction for the patients.

Keywords:Ankle joint; Ankle injuries; Arthroscopy; Magnetic resonance imaging; Patient satisfaction

Resumo:

Objetivo: A síndrome do impacto posterior do tornozelo (SIPT) refere-se a um grupo de entidades patológicas que resultam de forças repetitivas ou agudas de flexão plantar forçada. É descrita em bailarinos e em indivíduos praticantes de atividades esportivas como o futebol, basquetebol, corrida, voleibol; entretanto pode também ocorrer em não-praticantes de atividades esportivas. O objetivo deste estudo foi avaliar retrospectivamente os resultados do tratamento artroscópico na SIPT. Métodos: Foi realizada uma avaliação retrospectiva dos prontuários de 13 pacientes, sendo 1 bilateral (14 casos), submetidos ao tratamento artroscópico da SIPT entre 2005 e 2009. Foram avaliados exames radiográficos, ressonância magnética, escore AOFAS e o nível de satisfação dos pacientes. Resultados: O escore AOFAS pré-operatório médio para os 14 casos foi 65,1 pontos (58-73) e o AOFAS pós-operatório de 89,4 pontos (72-96). Essa diferença foi considerada estatisticamente significativa com p<0>Conclusão: O tratamento artroscópico da SIPT mostrou-se efetivo proporcionando melhora clínica e satisfação aos pacientes.

Descritores:Articulação do tornozelo; Traumatismos do tornozelo; Artroscopia; Imagem por ressonância magnética; Satisfação do paciente

[ baixe o PDF ]

Avaliação clínico-funcional e radiológica de fraturas intra-articulares desviadas do calcâneo

Functional and radiological evaluation of displaced intra-articular calcaneus fractures

Cíntia Kelly Bittar, Mário Sérgio de Cillo, José Luis Amim Zabeu, Francisco Cintra, Cristiane Tonoli

Abstract:

Objectives: To analyze evaluate functional and radiological results of displaced intra – articular fractures treated with open reduction and internal fixation in patients from Hospital e Maternidade Celso Pierro (HMCP). Methods: Open reduction and internal fixation were performed in 28 displaced intra-articular calcaneus fractures between 2002 and 2008. Essex-Lopresti radiological and Sanders tomographic classifications were used in pre-operative evaluation. Extended lateral incision was performed in all patients with internal fixation ostheosynthesis using 3.5 mm implants, without bone graft with a mean follow up of 41 months. Patients were clinically evaluated through Johnson functional method and American Orthopaedic Foot & Ankle Society (AOFAS) assessment, and deambulation capacity. Pre and post-operative radiographies were evaluated through the Böhler, Gissane, Talus-calcaneus and Calcaneus-sole angles as well as through calcaneus height and width measurements. Results: Radiological values returned to normal in 90% of the cases; 74% patients presented fair capacity of walking; 83% complained pain (subjective scale). The majority (95%) was satisfied, with minimum restriction. AOFAS functional scale average value was 76 points. Conclusion: Satisfactory functional and radiological results were achieved, with improvement of the radiological indices and low rate of complications to these patients. The obtained results are compatible with the literature ones.

Keywords:Calcaneus/injuries; Calcaneus/surgery; Fractures, bone; Foot injuries; Subtalar joint

Resumo:

Objetivo: Avaliar o resultado clínico-funcional e radiográfico de fraturas intra-articulares desviadas do calcâneo e tratadas com redução aberta e fixação interna em pacientes do Hospital e Maternidade Celso Pierro (HMCP). Métodos: Estudo retrospectivo realizado entre 2002 e 2008; 28 fraturas intra-articulares do calcâneo foram tratadas com redução aberta e fixação interna no ambulatório de ortopedia e traumatologia do HMCP. As classificações radiográficas de Essex-Lopresti e tomográfica de Sanders foram empregadas na avaliação pré-operatória. Realizou-se acesso cirúrgico lateral convencional, fixação com implantes de 3,5 mm, sem enxerto ósseo, com média de seguimento de 41 meses. Para avaliação clínico-funcional utilizou-se escalas funcionais de Johnson e da American Orthopaedic Foot & Ankle Society (AOFAS). Radiografias pré e pós-operatórias iniciais e tardias foram avaliadas com aferições dos ângulos de Böhler, Gissane, talocalcâneo, calcâneo-solo, altura e largura do calcâneo. Resultados: Os valores radiológicos obtidos foram normalizados em 90% dos casos; 74% dos pacientes apresentaram boa capacidade de deambulação; 83% referiram dor no pós-operatório. A maioria (95%) mostrou-se satisfeita, com restrição mínima da capacidade de deambulação. Pela escala da AOFAS, o valor médio obtido foi de 76 pontos. Conclusão: O estudo demonstrou resultados clínico-funcionais satisfatórios, com melhora dos índices radiológicos e baixa taxa de complicações para esses pacientes. Os resultados obtidos são compatíveis com os resultados da literatura.

Descritores:Calcâneo/lesões; Calcâneo/cirurgia; Fraturas ósseas; Traumatismos do pé; Articulação talocalcânea

[ baixe o PDF ]

Deficiências de fatores de crescimento na consolidação de fraturas em diabéticos

Growth factor deficiencies in diabetic impaired fracture healing

Aaron J. Wey, Kristen Mason, Siddhant K. Mehta, Collin Creange, Eric A. Breitbart, Ankur Gandhi, David N. Paglia, Patrick J. O’Connor, Swaroopa Vaidya, Sheldon S. Lin, Andrew G. Park, Ravi Verma

Abstract:

-

Keywords:-

Resumo:

-

Descritores:-

[ baixe o PDF ]

Osteotomía doble de primer metatarsiano, mini-invasiva, para el tratamiento del hallux valgus

Double osteotomy of the first metatarsian, mini-invasive, for the hallux valgus treatment

Germán Andrés Chaparro, Julio Eduardo Amaya, Gonzalo Rubíes

Abstract:

Objetivo: La doble osteotomía distal y proximal del primer metatarsiano permite corregir el varo del mismo y la inclinación de la carilla articular distal. El objetivo de este estudio retrospectivo es reportar los resultados con doble osteotomía del primer metatarsiano en el tratamiento de hallux valgus moderados y severos, en forma mini-invasiva. Métodos: Entre febrero de 2003 y febrero de 2005 se evaluaron, en forma retrospectiva, 65 pacientes (73 pies) con hallux valgus moderado y severo. La técnica utilizada fue mini-invasiva, se evaluaron radiografías prequirúrgicas y posquirúrgicas, se utilizó el score de AOFAS para medir el resultado con un mínimo de 24 meses postquirúrgico. Resultados: La evaluación radiográfica mostró una corrección completa de la deformidad en la mayoría de los casos. La evaluación con score AOFAS (más de 24 meses) mostró 71 pies con excelentes y buenos resultados (60 excelentes y 11 buenos), 1 pie regular y 1 pie con mal resultado; y un incremento en la puntuación prequirúrgica y posquirúrgica de 40,91 puntos en promedio. Conclusiones: Esto es un método efectivo y seguro en pacientes con hallux valgus moderados y severos sin importar la edad, la corrección de los ángulos intermetatarsiano, y articular distal del primer metatarsiano es completa y puede realizarse en forma mini-invasiva.

Keywords:Hallux valgus/cirugía; Procedimientos quirúrgicos mínimamente invasivos; Osteotomía

Resumo:

Objetivo: A osteotomia dupla distal e proximal do primeiro metatarsal permite corrigir o varo e a inclinação da faceta distal. O objetivo deste estudo retrospectivo é relatar os resultados obtidos com a osteotomia dupla do primeiro metatarsal no tratamento do hálux valgo moderado e grave de forma minimamente invasiva. Métodos: Entre fevereiro de 2003 e fevereiro de 2005, foram avaliadas 65 pacientes (73 pés) retrospectivamente com hálux valgo moderado e grave. A técnica utilizada foi minimamente invasiva; as radiografias pré e pós-operatórias foram avaliadas; utilizou-se o escore AOFAS para medir o resultado, com um mínimo de 24 meses pós-cirúrgico. Resultados: A avaliação radiográfica mostrou uma correção completa da deformidade na maioria dos casos. A avaliação do escore AOFAS (mais de 24 meses) mostrou 71 pés com resultados excelentes e bons (60 excelentes e 11 bons), um pé regular e um pé com mau resultado, e um aumento na pontuação pré e pós-operatória de 40,91 pontos em média. Conclusões: Este método é eficaz e seguro em pacientes com hálux valgo moderado e grave, independentemente da idade, obtendo-se correção completa dos ângulos intermetatarsal e do ângulo articular metatarsal distal do 1o raio de forma minimamente invasiva.

Descritores:Hallux valgus/cirurgia; Procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos; Osteotomia

[ baixe o PDF ]

Menu interno

Editor Chefe Revista ABTPé

 

 


Jorge Mitsuo Mizusaki

Busca Revista ABTPé